A coluna vertebral e suas inúmeras funções

O ser humano tem um diferencial de andar ereto, mas pagamos um preço por isso. A coluna tem pelo menos 10 funções definidas e protege-as a todo custo. Destas, destacam-se 03: suporte, locomoção e proteção.

A função de suporte tem a ver com o fato de sermos eretos, com o papel das lordoses e cifoses discutidas no último artigo. A posição ereta é também mantida por, pasmem, SEIS camadas de músculos na coluna, desde os mais superficiais como o trapézio, culminando com a musculatura intrínseca intervertebral. É muito músculo!

Discutimos também a função de locomoção e dos subterfúgios que a coluna cria para nos mantermos ambulatórios, longe dos predadores, e, portanto, vivos.

A função de proteção, porém, se destaca das demais. Da mesma maneira que o crânio protege o cérebro, a coluna protege sua extensão, a medula espinhal. O cérebro (encéfalo) e medula espinhal compõem o sistema nervoso central. Os 12 pares de nervos cranianos e os 31 pares de nervos espinhais que brotam do cérebro e medula, respectivamente, compõem o sistema nervoso periférico. É uma espécie de “fiação” inerente não só aos seres humanos, mas à todos os vertebrados.

A coluna, além de proteger a medula, serve como uma espécie de fronteira para a saída das raízes nervosas que eventualmente compõem os nervos espinhais. Grande parte destes nervos que saem do pescoço formam o plexo braquial, que dão origem aos nervos que vão pros braços. E boa parte dos nervos da região lombossacra formam os plexos lombar e sacral que dão origem aos nervos que vão para as pernas, entre eles o famigerado nervo ciático. Imagine aí um desnivelamento de alguma vértebra “pinçar” uma destas raízes nervosas. Um “beliscão” que causa fortes dores, a ponto de sóter idéia quem já teve. E acreditem, várias mulheres relatam que preferem parir a sentir este tipo de dor radicular.

Curiosamente, o ciático se resume a nada mais do que uma união de dois nervos: o tibial medialmente e o peroneal comum lateralmente. Estes, por sua vez, se separam atrás do joelho e dão origem ao popliteal medial e ao popliteal lateral. O ciático também não é o único nervo que irriga os membros inferiores. Outros, como o nervo femoral, o obturador ou o lateral cutâneo ficam relegados a segundo plano. Não obstante, generaliza-se todo nervo pinçado como o ciático. E ele acaba ficando com todo o crédito (ou a culpa).

Portanto, no intuito de proteger a medula espinhal e os 31 pares de raízes nervosas que se originam dela, a entidade coluna” (composta por 24 vértebras, 01 sacro e 01 cóccix) comete todo o tipo de atrocidades: provoca escolioses, aumenta ou diminui lordoses, e compensa falta de mobilidade de alguns segmentos com excessiva mobilidade em outros segmentos. Por fim, de certa maneira, escraviza-nos com aquela ditadura do ideal biomecânico. E quando este ideal é comprometido, improvisa-se vários tipos de desvios para preservar as três funções de suporte, locomoção e proteção.

Esta é ao mesmo tempo a maravilha que é a coluna vertebral e a razão porque 80% da humanidade tem ou já teve problemas de coluna – nosso ônus e bônus. Mas, pelas vantagens, e havendo possibilidade de escolha, poderíamos realmente ter optado por outro caminho?

Fonte: Associação Brasileira de Quiropraxia